PLANETA SUSTENTÁVEL

ENCONTRAR OS LIVROS DE WAGNER LUIZ MARQUES - DIGITANDO O NOME DE "WAGNER LUIZ MARQUES"


Pesquisar todo o texto de nossos livros

REVISTA VENDA MAIS

Amostra Grátis 480 x 60 - www.vendamais.com.br

INVESTE MAIS – A REVISTA DO INVESTIDOR

Amostra Grátis 480 x 60 - www.revistainvestmais.com.br

REVISTA LIDERANÇA

Amostra Grátis 480 x 60  - www.lideraonline.com.br

EDITORA QUANTUM – TREINAMENTOS

Editora Quantum 480 x 60

sábado, 1 de dezembro de 2007

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA OITO “Ss” E SETE “Ss”

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA OITO “Ss” E SETE “Ss”
PROGRAMAS DE APOIO NA IMPLANTAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL
PROFESSOR: DR. WAGNER LUIZ MARQUES
Conteúdo retirado do material:
CERTIFICADO DE REGISTRO OU AVERBAÇÃO:
Nº REGISTRO: 216.258, LIVRO: 377, FOLHA: 418
PROGRAMA CINCO “Ss”
FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL – MINISTÉRIO DA CULTURA
ESCRITÓRIO DE DIREITOS AUTORAIS
HISTÓRIAS PARA MEMORIZAÇÃO DO OITO “Ss”
1. ABERTURA
A ÚLTIMA CORDA
Era uma vez um grande violinista chamado Paganini. Alguns diziam que ele era muito estranho. Outros, que era sobrenatural. As notas mágicas que saiam de seu violino tinham um som diferente, por isso ninguém queria perder a oportunidade de ver seu espetáculo.
Numa certa noite, o palco de um auditório repleto de admiradores estava preparado para recebê-lo. A orquestra entrou e foi aplaudida. O maestro foi ovacionado. Mas quando a figura de Paganini surgiu, triunfante, o público delirou.
Paganini coloca seu violino no ombro e o que se assiste a seguir é indescritível.Breves e semibreves, fusas e semifusas, colcheias e semicolcheias parecem ter asas e voar com o toque daqueles dedos encantados.
De repente, um som estranho interrompe o devaneio da platéia.
Uma das cordas do violino de Paganini arrebenta. O maestro parou. A orquestra parou. O público parou. Mas Paganini não parou. Olhando para sua partitura, ele continua a tirar sons deliciosos de um violino com problemas.
O maestro e a orquestra, empolgados, voltam a tocar.
Mal o público se acalmou quando, de repente, um outro som perturbador derruba a atenção dos assistentes. Uma outra corda do violino de Paganini se rompe. O maestro parou de novo. A orquestra parou de novo. Paganini não parou. Como se nada tivesse acontecido, ele esqueceu as dificuldades e avançou tirando sons do impossível. O maestro e a orquestra, impressionados voltam a tocar.
Mas o público não poderia imaginar o que iria acontecer a seguir.
Todas as pessoas pasmas, gritaram OOHHH! Que ecoou por aquele auditório.Uma terceira corda do violino de Paganini se quebra. O maestro para. A orquestra para. A respiração do público para. Mas Paganini não para. Como se fosse um contorcionista musical, ele tira todos os sons da única corda que sobrara daquele violino destruído.
Nenhuma nota foi esquecida. O maestro empolgado se anima. A orquestra se motiva. O público parte do silêncio para a euforia, da inércia para o delírio.
Paganini atinge a glória. Seu nome corre através do tempo.
Ele não é apenas um violinista genial. É o símbolo do profissional que continua diante do impossível.
Vitória é a arte de você continuar, onde os outros resolvem parar.
2. NECESSÁRIO DO DESNECESSÁRIO
REFLITA
1. A sua irritação não solucionará problema algum.
2. As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas.
3. Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
4. O seu mau humor não modifica a vida.
5. A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus.
6. A sua tristeza não iluminará os caminhos.
7. O seu desânimo não edificará ninguém.
8. As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício de sua própria felicidade.
9. As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você.
10. Não estrague seu dia. Aprenda com a sabedoria divina a desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre, para o infinito Bem.
3.ORGANIZAR
QUALIDADE TOTAL
Você já participou de algum treinamento para melhorar a qualidade do seu desempenho no trabalho?
É bem possível que você tenha respondido que sim, e que lhe foi muito útil.
Geralmente as orientações visam à melhoria da qualidade do serviço, mas nem sempre se leva em conta a qualidade moral do indivíduo.
Caso tenha interesse, aí vão algumas dicas que favorecem a qualidade total.
· Ao acordar, não permita que algo que saiu errado ontem seja o primeiro tema do dia. Pense em algo agradável e na nova oportunidade que Deus lhe concede para tornar seu trabalho cada vez mais eficaz.
“Pensar positivo é qualidade.”
· Ao entrar no prédio de sua empresa, cumprimente cada um que lhe dirigir o olhar, mesmo que não seja seu amigo ou colega.
“Ser educado é qualidade.”
· Comece relembrando as boas notícias de ontem e os compromissos de hoje.
“Ser organizado é qualidade.”
· Não se deixe envolver pela primeira informação de erro recebida de quem talvez não saiba de todos os detalhes. Junte mais dados que lhe permitam obter um parecer correto sobre o assunto.
“Ser cauteloso é qualidade.”
· Use os equipamentos e os materiais da empresa com moderação e sem desperdícios.
“Respeitar as coisas alheias é qualidade.”
· Quando alguém lhe buscar tente adiar sua própria tarefa, pois quem veio lhe procurar deve estar precisando bastante de sua ajuda e confia em você. Esse alguém ficará feliz pelo auxílio que você lhe der.
“Ser atencioso é qualidade.”
· Não deixe de se alimentar na hora do almoço, ainda que seja um pequeno lanche, mas respeite suas necessidades físicas. Aquela tarefa urgente pode aguardar alguns minutos. Se você adoecer, dezenas de tarefas terão que aguardar a sua volta, menos aquelas que acabarão por sobrecarregar seu colega.
“Respeitar a saúde é qualidade.”
· Dentro do possível, procure organizar sua agenda para os próximos 10 dias. Não fique trocando datas a todo o momento, principalmente pouco tempo antes do evento. Lembre-se de que você afetará o horário de vários colegas.
“Cumprir o combinado é qualidade.”
· Ao comparecer aos eventos, leve tudo o que for preciso para a ocasião, principalmente suas idéias e divulgue-as sem receio. O máximo que pode ocorrer é não serem aceitas. Talvez mais tarde, em dois ou três meses, você tenha nova chance de mostrar que estava com a razão. Saiba esperar.
“Ter paciência é qualidade.”
· Não prometa o que está além das suas possibilidades só para impressionar quem lhe ouve. Se você não cumprir vai comprometer o conceito que levou anos para construir.
“Falar a verdade é qualidade.”
· Na saída do trabalho, evite pensar nos problemas deixados, pois no dia seguinte resolverá com calma. Pense como vai ser bom chegar em casa e rever a família ou os amigos que lhe dão segurança para desenvolver suas tarefas com equilíbrio.
“Amar a família e os amigos é a maior das qualidades.”
Pense nisso!
· A qualidade não se resume unicamente em produzir muito e fazer bem feito. Humanizar o ambiente de trabalho também é fator importante de qualidade.
· Respeitar as diferenças, colaborar de boa vontade, comprometer-se com a harmonia geral, é ter qualidade.
· Para alcançarmos a qualidade total é preciso considerar, além da nossa qualificação profissional, também o nosso aperfeiçoamento moral.
Interprete com muito carinho a sua qualidade total, pois só assim podemos chegar a um mundo melhor e cheio de paz.
4. LIMPEZA
TRABALHAR COM ALEGRIA
Havia uma fazenda onde os trabalhadores viviam tristes e isolados uns dos outros.
Eles estendiam suas roupas surradas no varal e alimentavam seus magros cães com o pouco que sobrava das refeições.
Todos que viviam ali trabalhavam na roça do senhor João, dono de muitas terras, que exigia trabalho duro, pagando muito pouco por isso.
Um dia, chegou ali um novo empregado, cujo apelido era Zé alegria. Era um jovem agricultor em busca de trabalho.
Foi admitido e recebeu, como todos, uma velha casa onde iria morar enquanto trabalhasse ali.
O jovem, vendo aquela casa suja e abandonada, resolveu dar-lhe vida nova.
Cuidou da limpeza e, em suas horas vagas, lixou e pintou as paredes com cores alegres e brilhantes, além de plantar flores no jardim e nos vasos.
Aquela casa limpa e arrumada destacava-se das demais e chamava a atenção de todos que por ali passavam.
Ele sempre trabalhava alegre e feliz na fazenda, por isso tinha o apelido de Zé alegria.
Os outros trabalhadores lhe perguntavam: como você consegue trabalhar feliz e sempre cantando com o pouco dinheiro que ganhamos?
O jovem olhou para os amigos e disse: bem, este trabalho hoje é tudo que eu tenho.
Ao invés de blasfemar e reclamar, prefiro agradecer por ele. Quando aceitei trabalhar aqui, sabia das condições.
Não é justo que agora que estou aqui, fique reclamando. Farei com capricho e amor aquilo que aceitei fazer.
Os outros, que acreditavam ser vítimas das circunstâncias, abandonados pelo destino, o olhavam admirados e comentavam entre si: "como ele pode pensar assim?"
O entusiasmo do rapaz, em pouco tempo, chamou a atenção do fazendeiro, que passou a observá-lo à distância.
Um dia o sr. João pensou: "alguém que cuida com tanto carinho da casa que emprestei, cuidará com o mesmo capricho da minha fazenda."
"Ele é o único aqui que pensa como eu. Estou velho e preciso de alguém que me ajude na administração da fazenda."
Num final de tarde, foi até a casa do rapaz e, após tomar um café bem fresquinho, ofereceu ao jovem o cargo de administrador da fazenda.
O rapaz aceitou prontamente.
Seus amigos agricultores novamente foram lhe perguntar:
"O que faz algumas pessoas serem bem sucedidas e outras não?"
A resposta do jovem veio logo: "em minhas andanças, meus amigos, eu aprendi muito e o principal é que: não somos vítimas do destino. Existe em nós a capacidade de realizar e dar vida nova a tudo que nos cerca. E isso depende de cada um."
Toda pessoa é capaz de efetuar mudanças significativas no mundo que a cerca.
Mas, o que geralmente ocorre é que, ao invés de agir, jogamos a responsabilidade da nossa desdita sobre os ombros alheios.
Sempre encontramos alguém a quem culpar pela nossa infelicidade, esquecidos de que ela só depende de nós mesmos.
Para encobrir sua indolência, muitos jogam a culpa no governo, nos empresários, nos políticos, na sociedade como um todo, esquecidos de que quem elege os governantes são as pessoas; que quem gera empregos são os empresários, e que a sociedade é composta pelos cidadãos.
Assim sendo, cada um tem a sua parcela de responsabilidade na formação da situação que nos rodeia.
E para ser feliz, basta dar ao seu mundo um colorido especial, como o personagem desta história que, mesmo numa situação aparentemente deprimente para os demais, soube fazer do seu mundo uma realidade bem diferente.
E conforme ele mesmo falou: existe em nós a capacidade de realizar e dar vida nova a tudo que nos cerca.
5. HIGIENE/PADRONIZAÇÃO
NÃO ESPERE
- Não espere por pessoas perfeitas para então se apaixonar;
- Não espere ter dinheiro ao monte para então contribuir;
- Não espere a enfermidade para saber o quanto é frágil;
- Seja sempre autentico e único;
- Não espere a queda para lembrar do conselho;
- Não espere o melhor emprego para começar trabalhar;
- Não espere ficar de luto, para reconhecer que hoje esta pessoa é importante;
- Não espere ficar sozinho para reconhecer o amor de quem está ao seu lado;
- Não espere elogios para acreditar em si mesmo;
- Não espere ser amado para amar;
- Não espere a separação para buscar a reconciliação;
- Não espere um sorriso para ser gentil;
- Não espere a mágoa para pedir perdão.
6. DISCIPLINA
O ALUNO E O AMOR
Em uma sala de aula havia muitos alunos interessados em aprender, a professora considerava que em todo tempo de seu trabalho nunca havia encontrado uma turma tão boa como era esta.
Um certo dia a professora estava trabalhando a relação humana entre os homens, uma disciplina muito importante no currículo escolar e humano.
Passado alguns minutos da aula, um aluno pediu para a professora conceituar AMOR.
A professora ficou parada e não sabia conceituar amor.
Então solicitou que todos os alunos fosse na natureza trouxessem alguma coisa para ela.
Passado alguns minutos, os alunos chegaram:
Pedrinho trouxe uma flor e falou:
- Professora encontrei esta bela flor no jardim e trouxe para senhora.
Maria, muito simpática trouxe uma borboleta e falou:
- Professora trouxe a mais bela borboleta encontrada, para simbolizar a sua beleza de pessoa.
João, um dos mais peralta trouxe um pássaro e falou:
-Professora identificando a vida, achei no chão dois pássaros pequeninos, que havia caído do seu ninho, não me exaltei, peguei um e trouxe para simbolizar a sua presença perante nós.
A professora ficou entusiasmada com as atitudes de seus alunos, mas no fundo da sala havia um aluno triste, solitário e não levou nada para a professora.
A professora se aproximou deste aluno e pediu-lhe:
- Qual o motivo que você não trouxe nada para simbolizar o amor?
Humildemente Zezinho responde:
-Professora eu não podia trazer nada para a senhora:
Ao passar no jardim, observei a flor tão bela, mas não poderia ser tão individualista a ponto de retirar do jardim uma beleza que todos pudessem ver e apreciar.
Ao observar aquela borboleta, em hipótese alguma poderia matá-la, para satisfazer o simples ego que eu sou mais forte que ela.
Quando passei por aquele ninho havia um pássaro caído no chão, eu não poderia abandonar aquele ser vivo e tirar do lado de sua mãe.
Pensando em tudo isso, a professora refletiu e explicou claramente o que é AMOR:
- AMOR é não ser egoísta a ponto de guardar para si a beleza da natureza;
- AMOR é não ser assassino a ponto de matar o seu próximo, independentemente do ser vivo que está a sua frente;
- AMOR é não ser prepotente em abandonar o seu próximo e deixá-lo caído às margens da vida.
AMOR na realidade é dividir a beleza, a fraternidade, a alegria e mesmo a tristeza com seu semelhante.
7. TREINAMENTO
CHEFE CHATO
Alice era boa funcionária, atenciosa, educada e eficiente no trabalho, no entanto era subordinada a uma Chefa terrível. Quando Alice chegava pela manhã e falava "bom dia", a Chefa respondia com uma pergunta:
- Por que não chegou mais cedo?
Se chegasse antes da hora, a Chefa não estava lá, mas ficava sabendo e lhe perguntava se ela não sabia qual o horário do expediente, mesmo depois de trabalhar ali há tantos anos.
Parecia uma mulher má, implicava com tudo, até que certo dia Alice se cansou e decidiu demitir-se: Vou sair, mas antes vou dizer tudo o que está preso aqui dentro?, pensou.
Exatamente nesse dia ela estava almoçando quando encontrou Fernanda, responsável pela motivação na Empresa. Fernanda convidou Alice para assistir a um treinamento naquela tarde.
- Não posso, tenho expediente a cumprir.
- E por que não?
Alice explicou sobre sua Chefa, que vivia implicando com ela e Fernanda lembrou que pior a situação não poderia ficar, além do que, se a Chefa lhe desse uma bronca por faltar ao trabalho naquela tarde, ao menos, dessa vez teria motivo.
Alice lembrou que no dia seguinte iria demitir-se, por isso resolveu ir ao encontro.
Ali ouviu referências a respeito do perdão.
Fernanda começou a palestra:
- O perdão é bom para você. Se você perdoar alguém que o ofendeu ele continua do mesmo jeito, mas você se sentirá melhor. Se você perdoar o mentiroso, ele continuará mentiroso, mas você não se sentirá mal por causa das mentiras dele...
Ao final do treinamento, Alice concluiu que sua Chefa estava muito doente e tomou uma decisão: Não vou deixar que ela me atormente mais e nem vou abandonar o trabalho que gosto tanto.
No dia seguinte, Alice chegou e cumprimentou sua Chefa:
- Olá.
A Chefa foi logo lhe perguntando o que havia acontecido. Ela nunca a havia cumprimentado dessa maneira, estava diferente.
Alice falou que havia participado de um treinamento e que estava bem consigo mesma e até convidou a Chefa para tomar chá, ao final da tarde.
A reação veio logo:
- Você está me convidando para o chá só para eu não reclamar de sua falta?
Alice calmamente respondeu:
- Pode reclamar. A senhora pode até mandar descontar as minhas horas. Mas eu insisto no chá!
Ao final da tarde lá estavam elas juntas à mesa. Durante o chá, a chefe falou da sua surpresa em ter sido convidada para aquele chá.
A Chefa sabia que era intragável. Ela também falou de sua surpresa e emoção, pois nunca havia recebido convite de seus subordinados para um lanche ou mesmo um café e acabou por falar num desabafo de suas dores:
- O meu marido me bate, o meu filho vive no mundo das drogas. Por isso acabo odiando as pessoas. Sou uma pessoa muito infeliz.
Semanas depois, era a própria Chefa que comparecia ao treinamento da Fernanda a respeito do perdão.
Perdoar é libertar-se.
8. PERDAS:
VAI DESISTIR? PENSE BEM!
O General Douglas MacArthur foi recusado na Academia Militar de West Point, não uma vez, mas duas. Quando tentou pela terceira vez, foi aceito e marchou para os livros de história.
O superstar do basquete, Michael Jordan, foi cortado do time de basquete da escola.
Em 1889, Rudyard Kipling, famoso escritor e poeta, recebeu a seguinte resposta do jornal San Francisco Examiner : "Lamentamos muito, Sr. Kipling, mas o senhor não sabe usar a língua inglesa."
Winston Churchill repetiu a sexta série. Veio a ser primeiro ministro da Inglaterra somente aos 62 anos de idade, depois de uma vida de perdas e recomeço. Sua maior contribuição aconteceu quando já era um "cidadão idoso".
Os pais do famoso cantor de ópera italiano, Enrico Caruso, queriam que ele fosse engenheiro. Seu professor disse que ele não tinha voz e jamais seria cantor.
Albert Einstein não sabia falar até os 4 anos de idade, e só aprendeu a ler aos 7. Sua professora o qualificou como "mentalmente lerdo, não-sociável e sempre perdido em devaneios tolos". Foi expulso da escola e não foi admitido na Escola Politécnica de Zurique.
Louis Pasteur foi um aluno medíocre na escola. Dentre 22 alunos, ficava em 15° lugar.
Em 1944, Emmeline Snively, diretora da agência de modelos Blue Book Modeling, disse à candidata Norman Jean Baker ( Marilyn Monroe) : "É melhor você fazer um curso de secretariado, ou arrumar um marido. "
Ao recusar um grupo de rock inglês chamado The Beatles, um executivo da Decca Recording Company disse: "Não gostamos do som. Esses grupos de guitarra já eram."
Em 1954, Jimmy Denny, gerente do Grand Ole Opry, despediu Elvis Presley no fim da primeira apresentação, falando : "Você não tem a menor chance, meu filho. Melhor continuar motorista de caminhão. "
Quando Alexander Graham Bell inventou o telefone, em 1876, não tocou o coração de financiadores com o aparelho. O Presidente Rutheford Hayes disse: "É uma invenção extraordinária, mas quem vai querer usar isso?"
Rafer Johnson, campeão de decatlo, nasceu com um pé torto.
Thomas Edison fez duas mil experiências para conseguir inventar a lâmpada.
Um jovem repórter perguntou o que ele achava de tantos fracassos. Edison respondeu:
"Não fracassei nenhuma vez. Inventei a lâmpada. Acontece que foi um processo de 2.000 passos."
Aos 46 anos, após anos de perda progressiva da audição, o compositor alemão Ludwig van Beethoven ficou completamente surdo. No entanto, compôs boa parte de sua obra, incluindo três sinfonias, em seus últimos anos. ( Jack Canfield e Mark Victor Hansen).
Por isso não devemos achar nunca que NOSSO TEMPO acabou. Enquanto estivermos aqui, há algo para aprendermos e, muito possivelmente, alguém para aprender conosco também.
9. UNIÃO
LAREIRA
Um membro de um determinado grupo, ao qual prestava serviços regularmente, sem nenhum aviso deixou de participar de suas atividades.
Após algumas semanas, o líder daquele grupo decidiu visitá-lo. Era uma noite muito fria.
O líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor.
Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas-vindas ao líder, conduziu-o a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando.
O líder acomodou-se confortavelmente no local indicado, mas não disse nada.
No silêncio sério que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das achas de lenha, que ardiam.
Ao cabo de alguns minutos, o líder examinou as brasas que se formaram e cuidadosamente selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado.
Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto.
Aos poucos a chama da brasa solitária diminuía, até que houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez.
Em pouco tempo o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um negro, frio e morto pedaço de carvão recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada.
Nenhuma palavra tinha sido dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois amigos.
O líder, antes de se preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil, colocando-o de volta no meio do fogo.
Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos carvões ardentes em torno dele.
Quando o líder alcançou a porta para partir, seu anfitrião disse:
- Obrigado. Por sua visita e pelo belíssimo sermão. Estou voltando ao convívio do grupo. Deus te abençoe!
Reflexão : Aos membros de um grupo vale lembrar que eles fazem parte da chama e que longe do grupo eles perdem todo o brilho. Aos lideres vale lembrar que eles são responsáveis por manter acesa a chama de cada um e por promover a união entre todos os membros, para que o fogo seja realmente forte, eficaz e duradouro.
PROGRAMAS DE APOIO NA IMPLANTAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL
I- IDENTIFICAÇÃO DO OITO “Ss”
1-CONCEITO
É uma técnica utilizada em Programas de Gestão da Qualidade, tem como preceito básico utilizar OITO “Ss” passos simples para a boa conduta da implantação do método de qualidade, e fazer com que União, Estados, Municípios, distritos, bairros, residências, empresas, departamentos, enfim todos os meios que necessitam estar bem com sigo e proporcionar o “bem estar” para seus próximos, utilizam esta simples ação, onde não tem pré-requisito algum, com facilidade de transmitir, e apenas cada um dos membros aceitar o desafio e se auto analisar e fazer o trabalho unido para que o grupo caminhe para o sucesso desejado.
2-HISTÓRICO
Este método foi concebido por Kaoru Ishikawa, em 1950, no Japão do pós-guerra, inspirado na necessidade que havia de colocar ordem na grande confusão a que ficou reduzido o país após a derrota na Segunda Guerra Mundial. O método demonstrou ser tão eficaz enquanto reorganizador das empresas e da própria economia japonesa que, até hoje, é considerado o principal instrumento de gestão da qualidade e produtividade utilizadas naquele país.
3-OBJETIVO GERAL
Preparar a União, Estados, Municípios, distritos, bairros, residências, empresas, departamentos ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente.
Este sistema vem proporcionar o meio pelo qual o ambiente que concebera a finalidade de qualidade, conseguira alcançar o sucesso próprio e de todo o meio que participar.
4-OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Melhorar a qualidade dos produtos/serviços;
- Melhorar o ambiente de trabalho e de atendimento ao usuário;
- Melhorar a qualidade de vida dos funcionários.
- Educar para a simplicidade de atos e ações;
- Maximizar o aproveitamento dos recursos disponíveis;
- Reduzir gastos e desperdícios;
- Otimizar o espaço físico;
- Reduzir e prevenir acidentes;
- Melhorar as relações humanas;
- Aumentar a auto-estima dos funcionários;
- Desenvolver o espírito de equipe e disciplina;
- Desenvolver a cultura da limpeza, criatividade e organização;
- Elevar o nível de participação dos funcionários na busca de melhorias;
- Melhorar a imagem da organização.
- Melhorar o relacionamento dos indivíduos com o ambiente.
5- COMENTÁRIO DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Fazer com que o ambiente utilizado para implantação deste sistema, possa alcançar os seus objetivos na sua totalidade, tornando os objetivos propostos em formas de identificação clara para a boa conduta da implantação, sendo:
a) Melhorar a qualidade dos produtos/serviços:
No momento em que conseguimos fazer que os meios descubram a necessidade das técnicas que são implantadas, torna-se possível alcançar a parte final do objetivo que é tornar um meio igualitário para com todos, e os usuários do meio possibilitarem a satisfação necessária e a divulgação para todos que o rodeiam.
A partir deste momento, podemos conduzir às conclusões da qualidade no produto e no serviço.
b) Melhorar o ambiente de trabalho e de atendimento ao usuário:
No momento que sentimos satisfeitos no local que passamos o maior tempo, sentimos alegres e motivados para mantermos no local, com isso fazemos com que o ambiente se torna festivo, alegre, animador e sobretudo cuidadoso com aquilo que somos responsáveis em fazer e também garantir a nossa permanência por muito mais tempo do que a necessidade nos oferece, ou seja, um individuo feliz no seu ambiente de trabalho não só ira se preocupar com a sua estabilidade do emprego, como também dará o máximo de si para permanecer no ambiente que tanto o agrada.
c) Melhorar a qualidade de vida dos funcionários:
O homem para fazer de sua vida uma alegria ele deve estar motivado, com isso ele precisa buscar o máximo de si para o seu ideal, e isto não se resume apenas em um projeto de vida, mas sim a união de diversos fatores que proporciona a felicidade do ser humano e na escala da satisfação enumeramos pelo menos dez fatores que torna o homem com uma qualidade de vida inspiradora para consigo mesmo:
1º Harmonia entre os homens;
2º Confiança e respeito;
3º Gratidão e oportunidades;
4º Ambiente limpo e pessoas fisiologicamente assíduas;
5º Responsabilidade;
6º União;
7º Honestidade;
8º Tranqüilidade;
9º Condições para realizar o que é proposto;
10º Financeiro.
d) Educar para a simplicidade de atos e ações:
Para conseguirmos alcançar os nossos objetivos e os objetivos daqueles que nos rodeiam, precisamos trabalhar com simplicidade e ações, e não pararmos na burocracia, ou na insistência da beleza, mas conduzir de uma forma adequada a busca de satisfazer o seu próximo.
Isso são formas que mais acontece em órgãos empresariais, pessoas movidas a perfeição, fazendo com que talvez paralise algo que seja muito mais importante e com simplicidade chega ao mesmo objetivo desejado.
e) Maximizar o aproveitamento dos recursos disponíveis:
O ser humano no seu instinto pessoal é movido para o desperdiço, mas para conseguirmos agradar a nós e ao nosso semelhante, precisamos estar atentos em tudo que possa acontecer em nosso redor e isto faz parte à economia, precisamos aproveitar o máximo dos bens que estão em nosso poder, pois a satisfação do empresário é manutenção de nosso emprego, com isso temos que fazer tudo aquilo que achamos o certo e queremos para nós, pois se o bem que esta em nosso poder fosse nosso, com certeza não desperdiçávamos, o porque desperdiçar se é de outro? Temos sempre que refletir aquilo que não queremos para nós não pode querer para o nosso semelhante.
f) Reduzir gastos e desperdícios:
Este objetivo pode unir ao anterior, pois se aproveitarmos todos os nossos recursos totais não estaremos desperdiçando e muito menos gastando aquilo que não é necessário para nós e para o nosso semelhante.
g) Otimizar o espaço físico:
O aproveitamento dos espaços físicos é um meio de economizar e contribuir para o próximo, se nos organizarmos em nosso ambiente, com certeza sobrarão espaços e diminuímos até os gastos com bens fixos que talvez outros departamentos necessitam muito mais que nós.
A organização é peça fundamental na implantação do OITO “Ss”, por isso que temos que alertar a nós mesmos, sobre a nossa conduta de trabalho e desafios.
h) Reduzir e prevenir acidentes:
Se conseguirmos nos organizar, se conseguimos trabalhar com mais espaços no meio que vivemos ou trabalhamos, com certeza os nossos acidentes diminuem.
Também se planejarmos o nosso trabalho, estarmos bem com nós, com nossa família, com certeza estamos nos prevenindo de muitas coisas que poderia acontecer. Sendo assim tudo que observamos nos objetivos traçados, minimizamos os nossos riscos e alcançamos quase a perfeição desejada.
i) Melhorar as relações humanas:
Para alcançarmos os objetivos traçados temos que trabalhar em conjunto, e para conseguirmos isto, necessitamos nos relacionar com todos, necessitamos estar bem com todos, ou seja, precisamos buscar a paz e a união entre os homens, pois a qualidade total o próprio nome já diz atingir a totalização da eficácia, e para isso precisamos sempre estar de bem com os nossos semelhantes, pois se não gostamos de ser tratado mal, com certeza aquele que nos procura, ou que está em nosso meio também não gostará.
Assim o nosso relacionamento com o nosso semelhante faz parte da premissa de nossa qualidade total e o nosso alcanço do sucesso que tanto desejamos.
j) Aumentar a auto-estima dos funcionários:
Para atingir este objetivo, voltamos a letra “c” onde relaciona dez itens que fazem parte do ser humano, e estes itens devem estar entrelaçados entre funcionários e empresários, pois ambos devem doar um pouco de si para alcançar o máximo da perfeição e do desejo mutuo de ambas as partes, que é a qualidade perfeita para si e para o seu semelhante e reverter tudo isto em lucros e status.
l) Desenvolver o espírito de equipe e disciplina:
Para caminhar adequadamente tudo, temos que estar engajado em grupos, pois a união dos homens atinge o objetivo esperado e desejado, mas para realizar este fato precisamos nos auto disciplinar, tem que traçar metas para alcançar, precisamos aceitar idéias de outros e contribuirmos com o grupo, temos que conquistar os membros que participam de nosso meio, temos que realizar jogo de honestidade e presteza e sobre tudo temos que ser líder e ao mesmo tempo subordinado.
Em um trabalho de equipe e disciplina não podemos a nenhum momento jogar a responsabilidade a outro, mas sim assumir aquilo que nos foi atribuído e ajudar ao outro que também desenvolverá o retorno que precisamos.
Esta forma de desempenho de união, um ajudando o outro e todos ajudando mutuamente, alcança o espírito de equipe e forma um grupo unido e coeso.
m) Desenvolver a cultura da limpeza, criatividade e organização:
Este objetivo esta entrelaçado em todos que citamos, pois um ambiente sujo, não consegue criar nada, e muito menos se organizar, pois a sujeira é a forma desorganizada de agir.
Sendo assim para realizar cada item exposto necessita este, estar presente no meio de todos os outros.
n) Elevar o nível de participação dos funcionários na busca de melhorias:
Dar condições para os funcionários buscarem aperfeiçoamento e educação para si, mas exigir um prazo, pois o homem é acomodado, enquanto ele se contentar com marasmo de seu trabalho com certeza não buscará melhoria, sendo assim, a empresa deve penalizar aquele que não querer se atualizar e melhorar seu modo de ser e de conhecer.
o) Melhorar a imagem da organização:
Esta imagem deve fazer parte o funcionário, as dependência, os móveis em si tudo que compõem o bom atendimento e a boa conduta para o nosso semelhante.
p) Melhorar o relacionamento dos indivíduos com o ambiente:
Este objetivo comunga com todos os outros e resume em apenas uma coisa o sucesso do homem e da empresa é fazer tudo certo e na hora certa.
6- DEFINIÇÃO
O nome é devido às iniciais das OITO “Ss” palavras japonesas que intitulam os OITO “Ss” etapas do processo. No Brasil, para facilitar o entendimento, essas etapas foram denominadas SENSOS.
SENSO:
Segundo os dicionários dizem que Senso é: Juízo; Direção; Aplicar a Razão; Julgar com ponderação e inteligência; apreciar coisas belas e fazer de tudo que torne o sentido da vida utilitário.
JAPÃO BRASIL SIGNIFICADO
1 Seiri Senso de utilização Separar o necessário do desnecessário
2 Seiton Senso de ordenação Arrumar, organizar
3 Seisso Senso de limpeza Limpar
4 Seiketsu Senso de saúde Manter o local limpo e higiênico, praticando os 3S iniciais
5 Shitsuke Senso de auto-disciplina Disciplina
6 Shido Senso de treinamento Busca constante de capacitação pessoal
7 Seison Senso de eliminação de perdas Desenvolver o trabalho com a maior atenção
8 Shikari Yaro Senso de realização com determinação e união Todo trabalho realizado unido tende a alcançar os objetivos pessoais e coletivos.
7- NOVA VERSÃO DOS OITO “Ss”
7.1- NOVA VERSÃO
Em 1986, quando se imaginava que os 5S estivesses totalmente esgotados em suas aplicações, um grupo de consultores especializados em Qualidade e Produtividade, escreveu um livro aprimorando ainda mais essa técnica: "Os Novos 5 S".
A diferença de abordagem, responsável pela melhoria dos Novos 5S, está concentrada nos 3º e 5º S – Seisso e Shitsuke. O Seisso, 3º passo dos 5S, passou a ter significado de limpeza com inspeção, para verificar e garantir a funcionalidade. Assim, não basta estar limpo. É preciso que tudo esteja em condições de ser utilizado a qualquer momento.
Em relação ao 5º passo, Shitsuke, a disciplina passa a ter uma interpretação diferente, mais autônoma e livre – educação e formação ética e moral. O ambiente onde convivo é partilhado por outros. Portanto, toda e qualquer mudança deve ocorrer tendo como princípio o bom senso. Assim, com esta nova conotação, os Novos 5 S preconizam a eliminação dos problemas na origem, não nos efeitos. O que se busca não é atenuar o efeito, mas eliminar a causa. Não se trata de limpar sempre, mas evitar que se suje.
Desta forma, pode-se dizer que os 3 primeiros Ss têm em sua aplicação o sentido operacional, ficando os dois últimos com a função de sustentar o que foi desenvolvido pelos primeiros.
Com a proposta de propiciar a melhoria no ambiente de trabalho e na vida de um modo geral, os conceitos dos Novos 5 Ss podem atuar diretamente no resgate da dignidade do servidor como profissional e cidadão participante do processo de mudança da comunidade onde vive.
Com o decorrer da evolução global necessitou de mais três “Ss” SHIDO; SEISON; SHIKARI YARO: Treinamento; Eliminação de Perdas; Realização com Determinação e União.
7.2. ELIMINAÇÃO DAS GRANDES PERDAS
Nº PERDAS
01 PERDAS POR QUEBRA.
02 PERDAS POR DEMORA NA TROCA DE FERRAMENTAS E REGULAGEM.
03 PERDAS POR OPERAÇÃO EM VAZIO (ESPERA).
04 PERDAS POR REDUÇÃO DA VELOCIDADE EM RELAÇÃO AO PADRÃO NORMAL (QUEDA DE PRODUÇÃO).
05 PERDAS POR DEFEITO DE PRODUÇÃO.
06 PERDAS POR QUEDA DE RENDIMENTO.
7.3. APLICAÇÃO DAS MEDIDAS PARA OBTENÇÃO DA QUEBRA ZERO
Nº PERDAS
01 ESTRUTURAÇÃO DAS CONDIÇÕES BÁSICAS.
02 OBEDIÊNCIA AS CONDIÇÕES DE USO.
03 REGENERAÇÃO DO ENVELHECIMENTO.
04 SANAR AS FALHAS DO PROJETO.
05 INCREMENTAR A CAPACITAÇÃO TÉCNICA.
8- OS OITO “Ss” E A DIGNIDADE HUMANA
O "Programa oito “Ss" propõe OITO “Ss” iniciativas, oito ações que visam transformar o ambiente de trabalho.” Ao fazer isso, entretanto, transforma a atitude das pessoas em relação a esse ambiente, aos seus colegas e a si mesmas.
Parece exagero, mas não é. O "Programa oito “S" é mais do que uma ferramenta administrativa.” É uma proposta de reeducação, de recuperação de práticas e valores freqüentemente esquecidos, mas certamente conhecidos e prezados por todos.
De fato, as atitudes sugeridas pelo "Programa OITO “Ss” parecem óbvias. Todos concordam que um ambiente desentulhado de coisas é mais agradável do que um local entupido de tralhas que mal sabemos para que servem. Ninguém questiona ser mais fácil trabalhar em um ambiente bem arrumado, do que em meio à bagunça. É claro que um lugar limpo é muito melhor do que um outro cheio de lixo e sujeira.
Nós sabemos perfeitamente que atitudes como essas, antigamente chamadas "virtuosas", tornam a vida mais agradável, mais saudável, mais produtiva. Apenas nos esquecemos disso. Ou achamos que o local onde trabalhamos "não merece" o nosso esforço nesse sentido, talvez por pensarmos que "esse não é nosso trabalho".
Por esse motivo, o “Programa OITO “Ss” foi concebido para ser aplicado também fora do ambiente de trabalho”.
Ele propõe que façamos uma reflexão sobre a nossa vida, sobre o modo como nos comportamos com relação a nós mesmos, aos nossos parentes, amigos, vizinhos, colegas de trabalho. Em relação à nossa casa, nossa rua, nosso bairro, nossa cidade, nosso país.
Em resumo, o "Programa OITO “Ss” questiona a nossa situação enquanto cidadãos, enquanto membros ativos de uma sociedade organizada e democrática, onde cada indivíduo tem direitos e obrigações e deve esforçar-se para cumprir estas e fazer valer aqueles.
O "Programa OITO “Ss” pode ser o primeiro passo para que reconquistemos mais um "S" – o Senso da dignidade humana, através do qual atingimos também o senso da alegria, o sendo da beleza, o sentido de ser gente, e sem o qual jamais conseguiremos perceber a necessidade de vivermos numa sociedade igualitária e harmoniosa.”
II- IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA OITO “Ss”
9. MANUAL DE IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA OITO “Ss”
9.1- Manual e material de apoio para implantação do método OITO “Ss”
9.1.1- Manual para implantação do método OITO “Ss” “S’
9.2- Cartilha do OITO “Ss”
9.2.1- Material de apoio para a aplicação do método OITO “Ss”
9.3- Pegar exemplos de outras empresas que aplicaram o método OITO “Ss”
9.3.1- Planilha de Acompanhamento da aplicação do método OITO “Ss”
10- CRIAÇÃO E COMPOSIÇÃO DO COMITÊ PARA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA OITO “Ss”
10.1 - CRIAÇÃO E COMPOSIÇÃO DO COMITÊ
Os integrantes do Comitê serão indicados pelos responsáveis pelas entidades que fazem parte da localidade onde se pretende efetuar a implantação do Método e atuarão como facilitador ou multiplicador, sendo também responsáveis pelo treinamento das demais pessoas que farão parte do movimento.
· Facilitador - é o disseminador de conteúdo e deverá exercer o papel de consultor durante a implantação do método.
· Multiplicador – é o responsável pela multiplicação de um assunto específico da Qualidade para todas as pessoas que estejam envolvidas no processo de implantação.
Poderão integrar o Comitê pessoas com conhecimento em diversas áreas (Ex: médicos, dentistas, religiosos, professores, marceneiros, mecânicos, encanador, eletricistas, ambientalistas, etc.), com o objetivo de facilitar a movimentação das pessoas e a execução das tarefas.
Depois de definido a composição do Comitê, inclusive da equipe de apoio, o Comitê irá se dedicar ao planejamento de atividades até o dia da implantação, bem como pré-agendar os passos seguintes.
Esses passos deverão estar dispostos numa planilha de maneira que seja estabelecido um cronograma a ser seguido pelo Comitê, onde conterá, além do prazo, o responsável pela ação.
10.2- PERFIL E ATRIBUIÇÕES DO COORDENADOR
Perfil
· Amplo conhecimento da empresa, do departamento, em si onde será implantado o projeto OITO “Ss”;
· Respeitado, tanto pessoal quanto tecnicamente na empresa, no departamento em si onde será implantado o projeto OITO “Ss”;
· Conhecimento e interesse por assuntos relacionados à qualidade.
Livre acesso a direção da empresa, são os líderes que comanda os departamentos ou nos demais setores que serão implantados o projeto OITO “Ss”.
· Boa comunicação, credibilidade;
· Disponibilidade para aprender;
· Noções técnicas de didática.
Atribuições:
· Propor o plano de implantação do método;
· Exercer a coordenação geral da implantação do método;
· Responsável pela disseminação dos conceitos do método;
· Monitorar e avaliar toda implantação do método;
· Elaborar o orçamento da implantação;
· Elaborar o balanço da implantação.
10.3 - PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES
10.3.1 – MAPEAMENTO DAS ÁREAS
O local a ser implantado o Método OITO “Ss”, deverá ser analisado, de modo a facilitar não apenas o desenvolvimento das ações do Comitê, como também a comunicação entre o Comitê e as demais pessoas envolvidas. A análise deverá obedecer a critérios que contemplem todos os pontos à serem atingidos pela implantação como um todo.
10.3.2 – SENSIBILIZAÇÃO OITO “Ss” ( Multiplicação dos conceitos do Método)
A multiplicação deverá ser levada a efeito pelo Comitê, através da apresentação dos conceitos do Método e do seu cronograma de implantação, com informações detalhadas sobre cada conceito e o "Dia D", ressaltando sua importância para a prática dos demais “S”, além de orientações de como cada pessoa poderá colaborar do processo.
É importante que a composição do grupo para a sensibilização seja heterogênea, procurando uma interação entre as pessoas que integram a localidade.
A carga horária sugerida para o treinamento é de 7(sete) horas. O Comitê deverá adequar o tempo à realidade da localidade.
O treinamento deverá valer-se de recursos didáticos variados e criativos e o local das palestras deve ser agradável e confortável.
Durante o treinamento, o multiplicador deverá solicitar voluntários para as funções de força-tarefa e de representantes dos diversos segmentos que compõem a ação e identificar outros participantes que tenham perfil adequado à execução de atividades na área da qualidade.
Para um maior envolvimento, recomenda-se que os convites para a palestra e o evento sejam feitos individualmente, através de visitas por parte do Comitê.
10.3.3 – DEFINIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS SEGMENTOS DIVERSOS E DA FORÇA-TAREFA
O Comitê definirá, formalmente, os nomes dos Representantes dos segmentos diversos, e daqueles que comporão a Força-Tarefa, escolhendo, dentre os voluntários, os que possuam o perfil adequado para cada atividade.
Recomenda-se que, antes da formalização, cada pessoa seja contatada para confirmação da sua disponibilidade em participar, esclarecendo qual será sua função no processo, considerando-se que poderá haver desistência por motivos diversos.
Observação: Sugere-se o número de integrantes da Força-Tarefa na base de 1 para cada 10 participantes.
10.3.3.1- FORÇA TAREFA
São os funcionários que comandarão a evolução do trabalho nos setores em evidência, serão aqueles que participarão de reuniões e comando nas tomadas de decisões para o bom andamento do projeto e manutenção por muito tempo do projeto na empresa ou mesmo nos setores individualizados.
10.3.4 – REUNIÃO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO
É importante que o Coordenador do Comitê reunir com a Comissão dos Responsáveis pelos diversos segmentos que compõem a localidade, para relatar as atividades planejadas, apresentar os próximos passos e discutir as dificuldades encontradas.
Recomenda-se que as reuniões sejam pautadas para agilizar os trabalhos e evitar perda de tempo. Todas as decisões devem ser registradas em ata.
Sugere-se realizar estas reuniões após a conclusão de cada três ou quatro passos do processo, permitindo, desse modo, dar consistência ao andamento da implantação e manter o Comitê e a Comissão de Representantes sempre atualizados.
10.3.5 – LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES
O Comitê deverá elaborar planilhas para serem utilizadas pelos participantes, cujo preenchimento deverá ser orientado pelo representante dos segmentos:
"Planilha de Solicitação de Material"- discriminar e quantificar os produtos necessários para limpeza e organização de cada local;
"Planilha de Descrição de Melhorias"- discriminar as necessidades relativas à manutenção , aquisições modificação de layout, construções, etc.
Toda a documentação deverá ter um padrão uniforme, para facilitar o manuseio e a elaboração dos relatórios.
10.3.6 – DOCUMENTAÇÃO DA SITUAÇÃO ATUAL
Consiste em fotografar os locais alvos da ação de implantação do Método: salas, jardim, ruas, praças, prédios, etc. As concordâncias, bem como a aceitação por parte daqueles que freqüentam o local é imprescindível para o resultado final, para tanto se faz necessário os esclarecimentos do objetivo das fotos e a orientação quanto ao melhor ângulo.
Recomenda-se evitar fotografar pessoas e objetos pessoais para não causar constrangimento.
10.3.7 – MONTAGEM DO QUADRO DE FOTOS
As fotos deverão ser colocadas de modo a permitir a inclusão das outras que registrarão as melhorias da ação do "Dia D" e durante o processo de implantação.
O quadro deverá ser afixado no próprio local fotografado, em lugar visível, de modo que todos possam acompanhar as mudanças que estiverem sendo efetuadas.
A montagem das fotos deve ficar a cargo de pessoa da localidade ou segmento que tiver melhor habilidade para a organização.
Recomenda-se não afixar o quadro em local que possa causar constrangimentos.
10.3.8 – SELEÇÃO DE AÇÕES VIÁVEIS
O Comitê deverá, juntamente com os Representantes dos segmentos, analisar os pedidos descritos nas planilhas de solicitação de melhorias, selecionando e priorizando aquelas que poderão ser executadas no próprio "Dia D" e estabelecer uma pauta de reuniões, com os responsáveis pelos segmentos, para as demais que serão analisadas e executadas no decorrer da implantação do Método.
10.3.9 – "FEEDBACK" PARA AS AÇÕES NÃO-VIÁVEIS
Após analisar as ações que não poderão ser executadas a médio e longo prazo, no decorrer da implantação, o Comitê deverá estar atento as justificativas das possíveis negativas, de modo não frustrar os participantes quanto ao processo de melhorias e também para que não traga prejuízos na continuidade da implantação do Método OITO “Ss”.
10.3.10 – SOLICITAÇÃO DE MATERIAIS
Os materiais solicitados para utilização, principalmente no "Dia D", suas quantidades e especificações, deverão constar de listagem única, que servirá para orientar o Pedido de Compra.
A base do Método OITO “Ss” é estimular o trabalho em equipe e a integração e interação entre as pessoas. Portanto, ao analisar os materiais solicitados, recomenda-se atentar para os pedidos comuns e orientar a troca entre os segmentos.
10.3.11 – COMPRA DE MATERIAIS
A compra de materiais deve seguir os trâmites de fluxo de caixa dos diversos seguimentos envolvidos. Para tanto, o Comitê deverá viabilizar o pedido com antecedência para que na data estipulada, todo material necessário tenha sido providenciado.
10.3.12 – MONTAGEM DOS "KIT’S"
A montagem dos "Kit’s" deverá seguir as planilhas de solicitação de materiais entregue pelos seguimentos. Na separação poderá se contar com os Representantes dos seguimentos e do pessoal da Força-Tarefa, sob a supervisão de um elemento do Comitê.
O acondicionamento dos materiais deverá ser, de preferência, em caixas identificadas.
10.3.13 – DISTRIBUIÇÃO DOS “KITS"
De preferência, um dia antes do "Dia D".
10.3.14 – DEFINIÇÃO DAS ÁREAS DE DESCARTE LOCAL
O Comitê e os Representantes dos seguimentos deverão definir os locais adequados para receber o material descartado, considerando a facilidade de acesso tanto para quem está descartando, quanto para a Força-Tarefa que será responsável pela transferência para a área de descarte global.
10.3.15 – DEFINIÇÃO DA ÁREA DE DESCARTE GLOBAL
Também será definida pelo Comitê, juntamente com os Representantes dos seguimentos, o local onde serão agrupados os materiais descartados por toda a localidade.
Deve ser uns locais amplos, cobertos, seguro e que possa ser ocupado durante o período em que o Comitê estará procedendo à avaliação e contabilizando o total de materiais descartados, bem como decidindo o destino dos materiais inservíveis à localidade.
10.3.16 – DISTRIBUIÇÃO DAS ATIVIDADES
O Comitê fará reunião com Representantes dos seguimentos e a Força-Tarefa, para definir as atribuições e apresentar as instruções operacionais, principalmente para o "Dia D".
10.3.17 – "DIA D"
É o lançamento da implantação do Método OITO “Ss” na localidade. Iniciando pela prática dos três primeiros “Ss”. Até esta data, é necessária que o Comitê tenha cumprido e seguida com atenção toda à etapa.
Sugere-se uma cerimônia de abertura com a reunião de todas as pessoas da localidade envolvidas, incluindo-se a fala de um representante, esclarecendo o objetivo do dia e qual resultado se espera dessa ação.
Para que todos possam apreciar a movimentação e o processo de integração, pode-se programar uma reportagem, com filmagem e fotos, assim como uma festividade de encerramento do Dia D.
10.3.18 – DOCUMENTAÇÃO DO "DEPOIS"
Consiste em fotografar os ambientes onde foram realizados o descarte e as melhorias efetuadas para que se possa comparar o aspecto com as fotos tiradas anteriormente.
Recomenda-se utilizar o mesmo ângulo das primeiras fotos para se ter clareza das mudanças ocorridas.
10.3.19 – DIVULGAÇÃO DAS FOTOS
Utilizando o mesmo quadro das fotos tiradas antes do "Dia D", anexar as fotos do "Depois" e afixá-las nas localidades para que todos possam apreciar o trabalho realizado e o esforço conjunto.
10.3.20 – CONTABILIZAÇÃO DO DESCARTE
O Comitê, juntamente com os Representantes dos seguimentos e a Força-Tarefa, serão os responsáveis por preparar o balanço do resultado da atividade.
Lixo e sucata devem ser pesados. Bens móveis devem ser relacionados e anotados os que foram disponibilizados para as organizações dentro da localidade.
Os materiais não aproveitados deverão ser relacionados e seu destino anotado (venda, doação, etc)
Sugere-se enriquecer o relatório com fotos ou filmagem para fins de registro e avaliação posterior.
10.3.21 – PROMOÇÃO
Em conformidade com os objetivos estabelecidos pela Comissão composta por representantes dos diversos seguimentos da localidade, a implantação do Método OITO “Ss” terá uma série de ações que serão concretizadas num período previamente determinado pela Comissão.
Após o lançamento da implantação do Método, com a realização do "Dia D", o Comitê deverá ter um plano de sustentação que acompanhará o desenvolvimento da prática dos demais “Ss” em toda localidade.
É recomendado que, até a data do lançamento, ou seja, o "Dia D", seja feito um pré-lançamento com a criação de frases de efeito em forma de cartazes ou faixas, para serem veiculados com a antecedência de pelo menos 15 dias da data programada para o lançamento, divididos em períodos de 5 dias cada, chamando a atenção e convidando à participação.
Sugere-se também, a confecção de peças promocionais, contendo uma logomarca para o evento.
Pode-se promover um concurso para a escolha da logomarca.
As peças promocionais podem ser sacolas plásticas, botton, boné, camiseta, flanela, caneta, adesivo, selo, etc.
Também pode-se confeccionar manual de orientação (para os multiplicadores e representantes dos seguimentos contendo a metodologia do OITO “Ss”), cartilhas para os demais participantes com os conceitos do Método OITO “Ss”.
10.3.22 - DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS
Como parte da finalização da primeira etapa do processo de implantação do Método OITO “Ss”, sugere-se divulgar os resultados da contabilização do descarte, com uma cerimônia de confraternização, expondo as fotos, exibindo o filme, bem como divulgando os destaques e a dedicação na atuação conjunta de todas as pessoas participantes.
O Comitê será o responsável por organizar a divulgação, distribuindo, inclusive, relatório por escrito para a Comissão de Representantes dos seguimentos diversos e afixando em local de fácil acesso para o conhecimento dos demais envolvidos.
10.3.23 – RECONHECIMENTO
O reconhecimento consiste em dar expressão aos resultados das avaliações que serão realizadas durante o processo de implantação, bem como no decorrer da implementação, ou seja, na aplicação dos demais “S”.
Esse processo de reconhecimento e avaliação se fará em três momentos:
1)Auditoria OITO “Ss” – manutenção do movimento;
2)Avaliação anual ou semestral do movimento;
3)Premiação.
O sistema de avaliação deve focar:
1)Comprometimento com o processo.
Resultados em função da aplicação dos OITO “Ss”.
Também deve avaliar:
1) Natureza e profundidade das mudanças de comportamento das pessoas;
2) A eficiência das informações proporcionadas aos participantes;
3) O resgate, a melhoria contínua e a internalização dos OITO “Ss” "Sensos",
4) A satisfação dos participantes, realização das atividades em equipe, colaboração e sugestões espontâneas, relacionamentos, etc.
A avaliação será feita em formulário padronizado, onde serão atribuídos pontos, na escala de 1 a 5, crescente de acordo com o grau de envolvimento na aplicação dos conceitos dos OITO “Ss”.
O objetivo da avaliação é educar para a busca da melhoria contínua e preparar o ambiente para os futuros passos da Qualidade Total.
Assim, os avaliadores deverão ter como enfoque prioritário a orientação e o aconselhamento às pessoas da localidade, incentivando-as à melhoria continua.
Também como incentivo à melhoria pode-se premiar o seguimento e/ou pessoas que se destacaram no decorrer do movimento, utilizando diplomas, medalhas ou troféus, de modo que haja um aperfeiçoamento constante.
E manter o programa em desenvolvimento mesmo mudando alguns funcionários, pois deverão colocar responsabilidades em todos, mesmo aqueles que não foram colocados como Força Tarefa, pois se um destes funcionários que compunha este laço do projeto sair da empresa, os que continuam fazendo parte do setor deverá assumir a ação de mantenedor do projeto e repassador para os novos funcionários que ali fazerem partes.
11- FORMAS PARA SE MONTAR A CARTILHA DO PROGRAMA OITO “SS”
A cartilha é um manual de apoio para todos os participantes terem como base para o seguimento e identificação do programa que esta sendo implantado, com isso todos os membros terão de posse para acompanhar o trabalho e saber fazer tudo aquilo que se pede e deve-se fazer.
A cartilha deve constar diversos itens importantes como:
11.1- Empresa:
Neste momento identificará a empresa em evidência, comentando tudo o que ela presta de serviços ou produtividade e identificar tudo o que a empresa é, desde a sua montagem, diretoria, numero de funcionários, localidade e etc.
Caso seja montado o programa OITO “Ss” em uma unidade ou departamento, identifica desde a sede até a unidade que esta sendo desenvolvido o programa.
11.2- Método OITO “Ss” “S’:
Fará um comentário o que se pretende alcançar com a implantação deste programa na empresa ou unidade, identificando a finalidade do programa, suas metas a alcançar, departamento que envolverá o programa, caso seja todos, identificará um organograma geral da própria empresa, ou mesmo da unidade em evidência.
11.3- Origem do OITO “Ss”:
Identificar que a origem se deu em 1950, logo após a guerra, quando o Japão foi destruído pela guerra e um idealizador Kaouru Ishikawa, montou este programa para tirar o pais da crise.
11.4-Objetivo Geral:
Fazer um comentário breve dos objetivos gerais que a empresa pretende alcançar com a implantação do programa OITO “Ss”.
11.5- Objetivo Especifico:
Identificar detalhadamente qual o objetivo que a empresa pretende alcançar com o programa sendo implantado na devida empresa ou unidade.
11.6- Comentar o programa OITO “Ss”:
Este programa tem o efeito de tornar o individuo, organizado, o seu local de trabalho ou de vida adequado, e tornar possível a criação de seres humanos mais dignos com qualidade de vida assídua, sendo compartilhada com toda a sociedade que vive desde a família até o ponto crucial que cada ser humano passa que o ambiente de trabalho. Para isso precisa-se identificar o que é OITO “Ss”, ou seja, para o brasileiro a identificação do “S” é senso, e o que significa esta palavra? É a identificação das fazes que cada individuo terá que seguir para poder galgar o ponto mais auto do ser humano que é o sucesso.
É o momento que o homem descobre o seu valor e o seu limite, onde esta o seu poder de fazer e receber, e também realizar a conduta favorável para o bem estar da natureza, pois cada qual fazer sua parte teremos um ambiente saudável e feliz.
11.7- Identificação dos OITO “Ss”:
1) O que é o senso de utilização?
Descartar tudo aquilo que não tem valor no devido local, ou seja, manter apenas aquilo que é necessário e adequado às atividades e o ambiente de trabalho.
1.1) Como praticar este método?
Verificar o que é útil e necessário;
Separar aquilo que não tem utilidade no setor;
Descartar o que não serve, disponibilizando para outros setores, caso necessite, se não necessitar doem ou vendem.
1.2) Qual é o resultado deste método?
Desocupa espaço;
Torna-se mais visível os materiais realmente utilizados;
Torna o ambiente mais claro contável e fácil de limpar;
Evita a compra desnecessária de materiais
Aumenta a produtividade;
Prepara o ambiente para iniciar a outra fase de implantação.
2) O que é o senso de ordenação?
Arrumar e ordenar aquilo que permaneceu no setor por ser considerado necessário.
2.1) Como pratica este método?
Analisar onde e como as coisas são guardadas;
Definir critérios para organizá-los;
Definir lugar e modo adequado de guardá-los;
Padronizar os nomes dos objetos guardados;
Criar um sistema de identificação visual;
Manter tudo em seus lugares após o uso.
2.2) Qual é o resultado deste método?
Racionaliza os espaços;
Facilita o acesso aos materiais e equipamentos reduzindo o tempo de busca;
Evita estoques em duplicidade;
Racionaliza a execução das tarefas;
Melhora o ambiente de trabalho, reduzindo o esforço físico e mental;
Prepara o ambiente para iniciar a outra fase de implantação.
3) O que é o senso de limpeza?
Deixar o local limpo e às máquinas e equipamentos em perfeito funcionamento.
3.1) Como pratica este método?
Fazer uma faxina geral;
Acionar regularmente o pessoal da limpeza;
Acionar regularmente o pessoal da manutenção;
Desenvolver habito de limpeza;
Limpar os objetos em uso antes de guardá-los.
3.2) Qual é o resultado deste método?
Conscientiza sobre a necessidade de manter o local de trabalho limpo e arrumado;
Criar um ambiente de trabalho saudável e agradável;
Melhora a imagem do setor, da instituição e indiretamente dos funcionários;
Incrementa a qualidade de vida na empresa;
Prepara o ambiente para iniciar a outra fase de implantação.
4) O que é o senso de Saúde?
Desenvolve a preocupação constante com a higiene em sentido amplo, tornando o local de trabalho saudável e adequado às tarefas desenvolvidas. .
4.1) Como pratica este método?
Praticar primeiramente os métodos anteriores;
Melhora as condições ambientais de trabalho;
Promover o respeito mutuo;
Cuidar sempre da saúde e higiene pessoal;
Criar um ambiente de trabalho harmonioso.
4.2) Qual é o resultado deste método?
Reduz acidentes;
Melhora a saúde geral dos funcionários;
Eleva o nível de satisfação dos funcionários;
Facilita a relação humana;
Divulga positivamente a imagem da empresa, do setor e principalmente dos funcionários;
Prepara o ambiente para iniciar a outra fase de implantação.
5) O que é o senso de Auto-displina?
Melhora constantemente, desenvolve a força de vontade, a criatividade e o senso critico. Respeitar e cumprir o estabelecido.
5.1) Como pratica este método?
Disciplinar a pratica dos métodos anteriores;
Compartilhar objetivos;
Cumprir as rotinas com paciência e persistência;
Difundir regularmente conceitos e informações;
Incorporar os valores de avaliação e motivação;
Participar dos programas de treinamento.
5.2) Qual é o resultado deste método?
Elimina o controle autoritário e imediato;
Facilita a execução das tarefas;
Propicia resultados de acordo com o planejado;
Melhora os serviços e as relações humanas;
Prepara a instituição e os funcionários para o programa da qualidade mais abrangentes.
6) O que é o senso de Treinamento?
Melhora constantemente o seu ser interior, desenvolve a força de vontade de buscar talento e conhecimento, ampliar a criatividade e o senso critico de analisar as diversas formas de ver a qualidade. Respeitar e cumprir o estabelecido pelo amplo conhecimento de vida.
6.1) Como pratica este método?
Disciplinar a pratica dos métodos anteriores;
Compartilhar objetivos;
Cumprir as rotinas com paciência e persistência;
Difundir regularmente conceitos e informações;
Incorporar os valores de avaliação e motivação;
Participar dos programas de treinamento.
6.2) Qual é o resultado deste método?
Elimina o controle autoritário e imediato;
Facilita a execução das tarefas;
Propicia resultados de acordo com o planejado;
Melhora os serviços e as relações humanas;
7) O que é o senso de Eliminação de perdas?
Desenvolver o trabalho com a maior atenção.
7.1) Como pratica este método?
Disciplinar a pratica dos métodos anteriores;
Compartilhar objetivos;
Cumprir as rotinas com paciência e persistência;
Difundir regularmente conceitos e informações;
Incorporar os valores de avaliação e motivação;
Participar dos programas de treinamento.
7.2) Qual é o resultado deste método?
Estruturação das condições básicas;
Obediência as condições de uso;
Regeneração do envelhecimento;
Sanar as falhas do projeto;
Incrementar a capacitação técnica
8) O que é o senso de Realização com determinação e união?
Todo trabalho realizado unido tende a alcançar os objetivos pessoais e coletivos.
8.1) Como pratica este método?
Disciplinar a pratica dos métodos anteriores;
Compartilhar objetivos;
Cumprir as rotinas com paciência e persistência;
Difundir regularmente conceitos e informações;
Incorporar os valores de avaliação e motivação;
Participar dos programas de treinamento.
8.2) Qual é o resultado deste método?
Trabalhar em união;
Trabalhar com respeito;
Propiciar resultados de amizades;
Melhorar os serviços e as relações humanas;
12- PLANILHA DE AVALIAÇÃO
Cada empresa juntamente com seu grupo de organizadores do programa, forma seu próprio método de avaliação e assessoramento na boa conduta do programa.
12.1 QUESTIONÁRIO REFERENTE ANÁLISE DO OITO “Ss”
1) O que esta observando de melhoria no seu setor depois do desempenho realizado com a implantação do oito Ss:
( ) Muito Bom
( ) Bom
( ) Regular
2) Qual dos oito Ss que você esta melhor enquadrado:
( ) Senso de utilização – esta na fase de separa o necessário do desnecessário
( ) Senso de ordenação – Arruma e organiza o seu local de trabalho, mas não se
preocupa com os outros setores
( ) Senso de limpeza – mantém limpo o seu local de trabalho para cumprir com a
obrigação
( ) Senso de saúde – esta mantendo limpo o seu local de trabalho porque quer estar em
local higiênico e pratico para aumentar a produção
( ) Senso de auto-desciplina – já se considera disciplinado, pois o programa melhorou
seu comportamento em todos os sentidos.
( ) Senso de Treinamento – Busca constante de capacitação pessoal.
( ) Senso de Eliminação de Perdas – Desenvolve o trabalho com a maior atenção.
( ) Senso de Realização com determinação e união – Todo trabalho realizado unido tende a alcançar os objetivos pessoais e coletivos.
( ) Não me enquadro em nenhum, porque NÃO quero me conscientizar
3) O seu relacionamento com o programa oito Ss, é valido?
( ) Sim ( ) Não
4) Os membros que estão participando das reuniões e acompanhando o processo de implantação, você apóia?
( ) Sim ( ) Não
5) Caso você respondeu NÃO, qual é a idéia que você gostaria que fossem nomeados os membros:
( ) por eleição entre os funcionários dos setores
( ) outro – identifica a frente como você gostaria que tivesse sido a escolha ________________
6) O programa oito Ss Não surtira efeito na empresa, por quê?
( ) os funcionários não são unidos
( ) os administradores (proprietários) não colaboram com os funcionários
( ) os próprios funcionários não querem que de certo
( ) Dará certo SIM, pois eu sou consciente.
7) Há interesse de dar sugestões de melhoria para implantar o oito Ss na empresa o qual você presta serviço?
( ) Sim ( ) Não
8) Qual a melhor maneira para os funcionários darem sugestões, caso você respondeu SIM, a questão anterior: Responda na linha pontilhada:
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________

SEGUNDO RICHARD PASCALE (n.1938)
A ESTRUTURA DOS SETE "Ss" DE RICHARD PASCALE – NORTE-AMERICANO
Nº S AMERICANO BRASILEIRO
01 STRATEGY ESTRATÉGIA
02 STRUCTURE ESTRUTURA
03 SKILLS QUALIFICAÇÕES
04 STAFF PESSOAL
05 SHARED VALUES VALORES PARTILHADOS
06 SYSTEMS SISTEMAS
07 STYLE ESTILO
Foi o instrumento que celebrizou Richard Pascale.
Na sua perspectiva, os sete "S" fazem a comparação entre a gestão norte-americana e a japonesa. Concluiu que os japoneses centravam a atenção nos "S" mais "suaves" - estilo, valores partilhados, qualificações e pessoal, enquanto os norte-americanos se preocupavam com os "S" mais "fortes" estratégia, estrutura e sistemas.
Quando desenvolveu esta estrutura, Pascale era professor da Stanford Graduate School of Business, onde lecionou uma das disciplinas mais populares no programa de MBA - Sobrevivência Organizacional. A partir daí, Pascale passou a trabalhar como consultor independente.
CONCEITOS-CHAVE: Sete "S". Gestão japonesa. Transformação empresarial.
LIVRO-CHAVE: The Art of Japanese Management. Managing on the Edge.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.
BASSI, Eduardo. Globalização de negócios. São Paulo: Cultura, 1997.
CAMPOS, Vicente Falconi. TQC- Controle da qualidade total (no estilo japonês). Minas Gerais: FCO, 1992.
CARNEGIE, Dale. Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, Ed. Companhia Editora Nacional. 45º Edição. São Paulo, 1995.
CARNEGIE, Dale. Como Falar em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios. ed. Record. 29º Edição, Rio de Janeiro, 1996.
CHIAVENATO, Idalberto. Administração da Produção. São Paulo: Makron Books, 1997.
ISHIKAWA, Kaoru. Controle de qualidade total, a maneira japonesa. Rio de Janeiro: Campus, 1993.
MARQUES, Wagner Luiz , revista do CRC trimestral, matérias técnicas: Curitiba: Paraná
MARQUES, Wagner Luiz, Qualidade total hoje é solução, tribuna de Cianorte. Cianorte, Paraná, data 07/09/97.
MARQUES, Wagner Luiz, A busca do saber, Estado do Paraná. Curitiba, Paraná, data 27/03/99.
MARQUES, Wagner Luiz, A busca do saber, Folha de Iporã. Curitiba,Paraná, data 08/04/99.
MARQUES, Wagner Luiz, Política do Homem, Estado do Paraná. Curitiba,Paraná, data 22/09/2000.
MARQUES, Wagner Luiz, Atendimento, Estado do Paraná. Curitiba, Paraná, data 11/10/2000.
MARQUES, Wagner Luiz, Qualidade na Política do Homem, Jornal da UNIPAR, data 10/2000.
MIRSHAWKA, Victor. Implantação da Qualidade e da Produtividade pelo Método do Dr. Deming. Ed. McGraw-Hill Ltda., São Paulo, 1990.
MORREIRA, Daniel Augusto. Medida da produtividade na empresa moderna. São Paulo: Pioneira, 1991.
NETO, Edgar Pedreira de Cequeira. Ambiente da qualidade Total. São Paulo: Pioneira, 1995.
PRAZERES, Paulo Mundin. Dicionário de termos da qualidade. São Paulo: Atlas, 1996.
PURI, S.C., "ISO 9000 Certificação - Gestão da Qualidade Total", Ed. Qualitymark, 1994
RECK, Ross R., et al. A Negociação Ganha-Ganha. Ed. Saraiva, São Paulo.
ROTHERY, Brian. ISO 9000. São Paulo, Makron Books, 1996.
SILVA, João Martins da. O ambiente da qualidade na prática. Minas Gerais. Fundação Cristiano Ottoni, 1996.
SLACK, Nigel, et all. Administração da Produção. Editora Atlas, São Paulo, 1999.
TILLER, Tom. ISO 14.000. Um guia para avaliar as normas de gestão ambiental. São Paulo: Futura, 1998.
WEBBWE, Ron A. Um guia para administração do tempo. Rio de Janeiro: normas, 1989.

Nenhum comentário: